Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Valete - 10 Anos

por shangonator, em 13.04.13


YO Este som é dedicado a todos os manos que tão a dizer
que o meu rap tá a ficar muito erudito, tá a ficar
eloquente demais. Se querem ouvir rappers burros,
oiçam rappers burros. Mas não fiquem a ostracizar o nigga que quer cuspir com mais knowledge, o nigga que
que cuspir com mais elevação. Vai cheirar a peida do teu pai pra sentires a merda donde tu vieste man? Fuck
ya niggas!!!

Agora dizem que ?tou intelectual demais pa fazer rap
Que esses putos do hip-hop só curtem rap analfabeto
Desabrocha Almeida Garrett em cada mic aberto
Precisavas de 17 cérebros para absorver o meu
intelecto

Cuspo tão complexo, manos pensam que é um dialecto
Cuspo versos que envergonham o teu rapper predilecto
Quando activo o set mental eu faço surgir um pack
verbal
Com linhas de rap letal, mordaz e insurrecto
Eu sou Moisés, eu quero vida eterna no Sinai
Espero pela minha glória como espera um Samurai
Niggas sabem que é o viris quando a rima enferma sai

A história do liricismo nasceu no esperma do meu pai
E trouxe a kimahera pa esta nova era, atmosfera cai
Vem Valetosfera impera no teu hi-fi

Valete dilacera sempre que traz a rima Muay Tai
Abro crateras quando me transformo em super Einstein
Sou uma pantera para a tua noiva, nigga (ai, ai)
Dou-lhe a versão fera de Halloween e ela fly fly
Já não é rap dos teus dreams é mais um drive-by
Eu não rimo po mainstream eu faço o Zeightgeist
Soa a evolução com o mc valete, a inspiração

Arrumei a tua geração só com maquetes de iniciação
Desde 97 que eu sou muito phat pra competição
Eu tou a anos-luz, vocês inertes na escuridão
Tsunamis encaminho pra esses rappers que eu Katrino
Não percebes o Hip-Hop, até estudares o DNA do
Bambino
Viris é o mais felino, categórico e repentino

Atómico e libertino, histórico como Al Pacino
Metódico e serpentino, eufórico quando extermino
Difamas, levas estrume bem grosso como intestino
E desde 97 pensou-se que eu não ceifava quem fosse
E não deixava sem osso, qualquer suíno
Fiz tudo aquilo sem esforço, até o mais céptico
sentou-se
Insonso e todo dengoso foi genuíno
Estuda a força dos movimentos que eu liderei
Mc como eu, só quando eu fizer um filho com a Jean
Grae

Eu vinquei a minha marca no hip-hop e pimpei
Os meus niggas de Moz diriam que o teu rap é maningue
gay
Eu linchei mc?s deixei-os de saias e babetes
Levas vaias em paletes, és cobaia po meu rap
Rimo com Mc?s, tipo Azagaia e Mc Xeg
Não és da laia dos mais líricos só porque bytas o
Valete

Isso que tu fazes é só waia waia, não tem nexo
Olha o fire no meu rap, sou Damaia till I'm dead
Agora és grande porque fumas kaia com os teus dreads
Tu no kaia e eu a papar a tua catraia sem afecto
O meu rap bate forte, desde as Olaias ao teu beco

Se queres raia vem até ao cimo dos Himalaias onde eu
rappo
Eu fiz o meu buzz a espalhar flyers lá no metro
E a cuspir com mais veneno que manos paiam nos
projects
Estatuto é lendário desde Gaia a Budapeste

Eles vaiam mas eu como-os como papaias e croquetes
Insistem pra que?, quanto mais ensaiam ficam wacks
Vocês malham no abstracto eu espero que caiam no
concreto
Saiam desse projecto, vão para a praia vender caps
Sobressaiam como o rabo da Blaya no Boom Clap

Críticos! Acham que o rap é só beats e que a rima é
coisa pouca
Então avaliem a produção da minha piça na vossa boca
Essa ideia só pode sair duma cabeça ociosa e oca
Isso é o mesmo que ir a Chelas dizer: ?Eu quero que o
Barbosa se foda!?
Eu trago a tropa toda, deixo a tua cota rota

Faço mossa, dou-te coça, tu sabes que um Boss não
poupa
Roubo-te a roupa e ponho um mic na mão
Rimo com aquela vibração que deixa
a tua porca louca
Rappers apanham-me na rua, perguntam-me
se eu tenho beef com o Chulla
Nigga, eu não te pergunto porque
é que tu nem no teu bairro rulas

Porque é que os teus pais são escuros e tu saíste
quase pula
Porque é que o teu álbum vende menos que a mixtape do
Gula
Vê se vais procurar rubis no anús da tua mula
Antes que acabes expulso daqui como os tugas de
Nampula

Tu não tens pedigree, larga o mic veste lingerie
Nigga, eu cuspo um bisturi pa tua espinal medula
Outros dizem: ?Valete eu espanto-me com a tua
notoriedade,
Mal apareces na TV como é que tens tanta
popularidade??
Porque eu trago o discurso que agiganta a comunidade

E as rimas são flores belas que espancam sem piedade
Não compito com mc?s só canto para a posteridade
Esses rappers são wanna be?s só cantam vulgaridades
Suplantam precaridade, transplantam identidades
Descambam, encantam wacks com mediocridade
Eu cuspo grosso até a dormir como os niggas dos
Olivais

Tu nem sequer sabes cuspir, pareces as tias de
Cascais
Nigga, mostra credenciais e traz a rima bem posta
E composta como os mais reais
Os verdadeiros tropas hip-hoper?s são horizontais
A gente leva as nossas frotas engenhocas pos arsenais

Propostas para batalhas, só idiotas e surreais
Porque pos rivais acaba sempre em derrotas e funerais
Tu não és rapper bro, és só uma boca vaga
És um Zé Castelo Branco com roupa larga
Veste outra farda, niggas o teu flow desagrada
Já no futebol eu era o Oceano, tu eras o Gota d?Água

Sopa amarga, alguém rogou-te praga
O teu patrocínio já me ouviu, tens que arranjar outra
marca
Isso é pouco ou nada, nigga, tenta outra vaga
Eu só dou prop?s à tua shorty ela toda desaforada
Louca e depravada, suga o meu pau e fica rouca e
engasgada
Toda estrangulada, tiro o gadget, digo: ?go go Nádia,
Go go Nádia!? Sou o Pai Natal: ?Oh oh já tá?
?Oh no, pára? chama a (po po?)?

Acaba com isso Viris, leva a cena a sério man?
Se vieres à procura de aparato ou stress e chegares
aqui sem modas
Levas com sapatos, é melhor que tenhas reflexos como
Geoge Bush

Levas com tijolos, segue os protocolos
Nigga eu tou muito longe, não enxergas, põe binóculos
Dizem que é injusto eu rappar, porque sou muito mais
que um Mc

Dizem que é injusto porque parece que sou de outra
espécie
Se queres justiça pede a Deus pa nos devolver a
Maddie
E diz ao Cristiano para dar o prémio FIFA ao Messi

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:01


Valete - No Meu Quarto

por shangonator, em 13.04.13

                                           

                                     Valete - No Meu Quarto

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:42


Pais falhados, amigos pedrados
Não vejo maneira de sair deste buraco
Miséria, crime, lixo, bicho
Niggas a roubarem para alimentarem vícios
Sai da frente, deixa-me passar
Eu sou velho delinquente eu não vacilo em disparar
Não tenho planos, sou vândalo suburbano
Violência, delinquência são o meu quotidiano
Hey, bacano, não entres no meu bairro
O último pagou caro, foi esfaqueado por causa dum cigarro
A velha, Maria Imaculada, Senhora respeitada
Foi apanhada levada, julgada
Tinha meio quilo de branca em casa debaixo da cama
De cana, fecharam a paróquia do Padre Góis
Cambada de bois, baptizavam meninos com espermatozóides
Uh, António da Rua Aguiar 'tá tão mudado
Vi-o sentado no Parque Eduardo Sétimo, no Sábado passado
Coitado, o rapaz 'tá tão magro
(A dar o rabo p'ra comprar cavalo)
(A dar o rabo p'ra comprar cavalo)
(A dar o rabo p'ra comprar cavalo)
(A dar o rabo p'ra comprar cavalo)
É um bonito ofício
Tão digno como ser Primeiro Ministro
Não tens a gravata, não tens o terno
Mas tens o cu para teu governo
Credo, eu sou um cidadão do Inferno
Á esquerda um preto que me quer assaltar
Á direita um branco que me quer explorar
Sempre enfrentado os outros, meio pedrado, meio ciente
Andando pelas ruas provocando toda a gente
Ao virar da esquina aparece a polícia
PSP, Porcos Seguem Pretos, vieram-me dizer bom dia
(- Faz favor de encostar à parede, tens alguma coisa que te comprometa, nós não te dissemos já que não te queríamos ver aqui? És tu que és o Halloween?)
O meu nome é Ali Bábá, tem calma meu
Só 'tou á espera da tua mãe mas ela não apareceu
(- Oh Jorge, este sacana é engraçado)
Começaram-me a espancar, a dar p'ra matar
Eu puxei dum cigarro, comecei a fumar
Pistola na minha cara, cara bué inchada
Algemaram-me à chapada e levaram-me para a esquadra
Eu já tinha jantado mas na esquadra serviram-me mais um prato
Comi tanto naquela noite que fiquei enjoado
Bófia agarrou na folha do meu cadastro
Mais porca que o porco do meu padrasto
Idade, 16 anos de marginalidade
Acusação, ladrão, deram-me ordem de prisão
(É a décima vez que a gente se vê
Preto do caralho vais dormir no xadrez)
Xadrez para mim é uma suíte
Paredes com cimento na minha casa não existe, é triste
Meteram-me na cela dum travesti magricela
Um Tuga agarrado mais conhecido por Cinderela
Pediu-me um cigarro disse que morava em Odivelas
Era um homem inocente, foi apanhado numa ruela
(A dar o rabo p'ra comprar cavalo)
(A dar o rabo p'ra comprar cavalo)
(A dar o rabo p'ra comprar cavalo)
(A dar o rabo p'ra comprar cavalo)
Público, público na esquadra era muito
Sempre pensei que era um gajo fodido mas não era o único
Ao lado de tanto marginal, eu era um miúdo
Putas, drogados, ladrões, chulos
Tanta escumalha, tantos gandulos
(- Hey senhor guarda vocês não podem prender putos
- Shh! Respeito pela farda, faz pouco barulho)
Eu conheço este porco, ele chama-se Varela
Maldito porco da PSP de Odivelas
Uma vez viu-me no parque a fumar a minha wella
Apagou-me o charro, fodeu-me uma costela
Ah, Varela, felino desgraçado
Se apanho o teu focinho eu mando-te com o caralho
O porco do teu filho anda na melhor faculdade
Com o dinheiro que rouba os dealers na cidade
O porco tem um bigode que é sua vaidade
Uma moto quatro, e duas casas no Algarve
O porco tem um trauma que é segredo
A sua ex-mulher fugiu com um ganda preto
(- Ahahah
- Pouco barulho caralho! Deves 'tar a querer levar mais?
- Então senhor guarda? Ahn... Deus me livre, eu calo-me já)
Três e meia finalmente saí da esquadra
Prenderam tanta gente que a cela ficou lotada
Tiraram os meus dados e mandaram-me para casa
Cravei uns trocos, telefonei à minha chavala
Mas para variar, a bitch não 'tava
Cabra de merda roda o bairro inteiro
Mas eu não a largo, a puta tem dinheiro
Cheguei a casa a porta 'tava arrombada
Vidros partidos na entrada, tinha sido assaltada
Desgraçado do meu primo, maior carocho da área
Tinha-me roubado um vídeo para comprar dose diária
Abri o frigorífico, nada p'ra beber
Virei a cozinha, nada p'ra comer
Deitei-me na cama comecei a tremer
Quatro da manhã não consigo adormecer
Olha no fundo do quarto a insónia
Porque é que não param de rir-se de mim!? Paranóia!
Não aguento nigga, a agonia é muito grande
Preciso de qualquer merda para mandar para o sangue
Gás ou gasolina dá-me que eu fumo
Alguém me faz um pica ou eu corto os pulsos, eu juro
Ninguém me ouve por mais que faça barulho
De repente, pareceu-me ouvir gente
Vozes a chamarem-me por mim na minha mente
Deve ser da fome, eu devo estar doente
Preciso de ajuda, por sinal, urgentemente
(Halloween)
(Halloween)
(Halloween)
(Ahahahah)
Afinal eram os meus niggas a baterem á porta
(- Então? Como é que é bruxa?
- Nu bai bruxa 'am busca droga?)
Bora, puta da insónia que se foda
Fomos comprar droga na esquina vinte e quatro
Esquina controlada por um dealer cadastrado
Dealer conhecido como Dino Diacho
Cara marcada com a cicatriz duma facada
Óculos escuros, fato, gravata
Charuto cubano, mala à diplomata
O índividuo tinha sido preso mais de vinte vezes
'Tava cá fora não fazia dois meses
Um Cabo-Verdiano escuro só andava de Mercedes
Entramos no bairro, gangsters em todo o lado
Calma mano só viemos comprar um charro
Cabo-Verdiano fez um sinal
Niggas ficaram calmos
Ofereceu-nos bebida, fomos testar o produto
No carro, damas bonitas, vinho do mais caro
'Tá-se bem nigga, hoje temos o dia ganho
Começámos a fumar, beber sem parar
Eu 'tava de jejum comecei a vomitar
Tiraram-me do carro ao pontapé e à chapada
Fingi que desmaiei mas não me serviu de nada
Nós eramos três, eles eram mais de vinte
Pontapés na minha cabeça pareciam dinamites
Consegui fugir mas esquecime do ...
Voltei para trás (Rapaz nhos é nha droga)
Desgraçados, cercaram-me deram-me um enxerto de porrada
Meus niggas fugiram, deixaram-me deitado na estrada
Cara rebentada, roupa rasgada
Ganda pedrada, cinco da madrugada
Deitado no vómito sem guito, sem angala
De repente sinto um flash
(E a luz se apaga, e baza, e baza, e baza...)
Fiquei desmaiado até uma velha me acordar
(Ai não te mexas filho que eu já chamei uma ambulância)
Ambulância? Afanei-lhe o fio, tirei-lhe a aliança
Cacei-lhe a carteira e pus-me à distância
Vizinhos ouviram gritos chamaram a policia
Com a jarda que eu tinha nem que chamassem a CIA
Nas costas, levar uma facada, nem sentia
Qualquer merda, mudara a minha batida cardíaca
O coração parava, o coração explodia
Nem o Obikwelu me apanhava da maneira que eu corria
Cheguei a Santo António já era de dia
Não há ninguém que goste de mim neste bairro
Parece que todo o mundo me quer mandar abaixo
Nigga 'tou no chão daqui já não caio
Os cotas do bairro, todos olham-me de lado
(Então rapaz? Quando é que arranjas um trabalho?)
Pergunta à tua mulher se ela precisa dum caralho
Tinha tantos amigos, fazíamos merda todos os dias
Um foi morto os outros foram para Caxias
Ás vezes fico a pensar, há-de chegar o meu dia
Mas não penso muito, a cabeça 'tá fodida
Vinte e quatro horas por dia com uma faca no bolso
Girando de esquina à esquina à procura do almoço
A ver se um gajo orienta guita pa apanhar moca
Se um gajo ca orienta, ta fica dodo
Já faz um mês e tal que não vou às aulas
Mais uma vez se calhar chumbei por faltas
Nunca fui burro nem um grande baldas
Os stores é que nunca foram com a minha cara
Uns diziam bem alto que eu lhes queria gozar
Meninos do SASE ponham o dedo no ar
Todos riam-se mas riam baixinho
Sabiam que lá fora levavam no focinho
Havia uma miúda chamada Bianca
Bianca era minha paixão de infância
Uma miúda mulata quase branca
Corria atrás dela desde criança
Mas ela não quis namorar comigo nunca
Diz que nunca viu um gajo tão chato, tão chunga
Vai Bianca se não gostas da minha roupa
A minha mãe não coze, o meu padrasto não compra
Saí daqui que tu cheiras mal da boca
Tu nem és bonita tu não és boa
Vou mas é largar a escola, montar a minha banca
Comprar umas roupas, fumar muita ganza
Vou comprar um Mercedes como aquele que o Dino manda
Depois vou voltar à escola, vou comer a Bianca
Dói-me as costas, a moca foi embora
A dor vai e volta, ajuda-me brotha
Foda-se
('Tou farto desta vida, que safoda.
Safoda)
('Tou farto desta vida, que safoda.
Safoda)
('Tou farto desta vida, que safoda.
Safoda)
('Tou farto desta vida, que safoda.
Safoda)
Um dia destes ainda pego numa pistola
Dou a banhada grande e vou-me embora
Vou para um lugar onde ninguém me conheça
Um lugar bem longe da minha cabeça
Eu tenho medo que ninguém se lembre de mim
Mas tenho mais medo, boy, de ficar aqui
Assim é o Karma, da vida de um malandro
Eu vou andando, vou-me arrastando
As minhas pestanas tão pesadas
Pesam uma tonelada
As minhas pernas tão cansadas
Quem me dera chegar a casa
Não sei se cheguei, acho que fiquei por ali
Deitei-me num banco de jardim e adormeci

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:50


Killa Me Cabron -Halloween (Hip Hop)

por shangonator, em 11.04.13
 
Mafia sheet do guetto do barrucho
A nós é tudo g , rapazes tratem do saramago
Agora é a hora da desforra puxa o click da minha pistola
Cara ou coroa , cala a boca pirralho
Eu meto-te numa cova
Coroa falhas-te é cara
Barra, bala na catota , sangue na camisola
Nigga implora, grita e chora, borra-se , rasteja , rebola
Nada me incomoda
Droga na carola, vinho com coca cola a mente fica perigosa
Cofia brother, cofita mais na pajoca
Puxo o gatilho da pistola, clac clac na boca tambor roda, pólvora para fora
Nossa senhora o black bateu a bota
Que sa foda
Saca-lhe a guita vamos embora
Lamento nigga, sai á nora
Eu fodo muita gente
Porque tenho as costas quentes
Tenho os meus niggas atrás tenho os meus niggas à frente
.. no caminho é doido ou doente
Acidente, chamem-me a ambulância urgentemente
Pegem e levem o corpo do valente
Gente crente, experiente, ciente, que sente a vida de delinquente
Acaba de repente, prematuramente, possivelmente a tua não será diferente
Parente inconsciente, aprende a ser prudente,
Nós fumamos bula, apanhamos bubass, combinamos lutas, fornicamos putas, roubamos black's e tugas
Carro da patrulha, a psp procura
Rusga na minha casa so encontram cachupa
Circula de zurra , o futuro é kuzu
A bruxa é mais forte do que tu
Continua caralho a fazer cara de herói
Quando a gente se encontrar eu mostro-te quem é o bad boy
Nem te dou tempo para explicar
O que é , o que é que foi
Bala no bucho a explicação vem depois mother fucker
Youth kriminal
Allen halloween a tua zona maricon killa me killa me cabron
Dispara mother fucker, saca se tens colhões
Killa me killa me cabron
La no guetto do barrucho estou livre da babilon
Ninguém viu ninguém sabe
Ninguém fala o meu nome(2x)
A vossa boca podre g
Todos os dias na cidade otários são comidos
Levas a banhada e continuas te a dar de vivo
Tu queres ser bandido mas tens colhões de vidro
Anda cá boy buh ,meu filho
Parti-te os tomates em mil pedacinhos
Niggas como tu acabam com um tiro
Vai para casa lulu a rua não é para os meninos
Aqui não há vitima, aqui não há réu , são todos pecadores ninguém vai para o céu, béu béu béu, béu
Lulu, morreu , morreu, antes ele do que eu
Caso encerrado, processo arquivado
Nunca foi encontrado o mother fucker que te fodeu ,rapaz desmaiado , com a puta ..
Babi anda perto ,espera o momento certo, psp quieto ,
Deita-te no chão preto , afasta as pernas preto
Pegam-te num beco de um guetto e fodem-te preto
O que é que fazes boy?
Babi leva-te jarda, dede, viajo , nhaco
Check check check
Allen halloween a tua zona maricon killa me killa me cabron
Dispara mother fucker, saca se tens colhões
Killa me killa me cabron
La no guetto do barrucho estou livre da babilon
Ninguém viu ninguém sabe
Ninguém fala o meu nome(5x), nigga
Camon, camon, s.antonio yo , psa, odc, .. ,pontinha, bairro de escada e monte da caparica
Youth kriminal nigga, kriminal's

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:49


Viver contigo é tao bom ma bo
Na minha vida quem manda girl é só tu
Muitas querem tar cmgo yee
Mas o que eu quero é estar contigo yee
Nao ha crise que existe entre nós qe nao passa,
Nao ha barreiras qe o nosso amor nao ultrapassa
Eu sou o famoso heavy baby e tu és o c
É bem visível qe eu nasci pra ti

Tu tens o meu amor, tu tens meu coração
Pra nós ficarmos juntos tudo depende de ti
Paixão
Ninguém te entendi tal como eu te entendo
Por isso afirmo e reafirmo ma baby
Que amar-te é tão bom
É tão bom
Tão bom
Tar contigo e amar-te é tão bom
É tão bom
Tão bom

Eu não me imagino sem ter-te, sem te abraçar
Eu não tenho sonhos sem ver o meu amor chegar
É que eu sou o tic baby , tu és o tac
Quando eu tou na defesa miuda tu tas no ataque
É que tu és a número 1 minha salada de atum
Minha sócia minha patroa
Mor tu tens essa coroa
Tu és tudo aquilo que um homem deseja e almeja
Alcançar para amar

Tu tens o meu amor, tu tens meu coração
Pra nós ficarmos juntos tudo depende de ti
Paixão
Ninguém te entendi tal como eu te entendo
Por isso afirmo e reafirmo ma baby
Que amar-te é tão bom
É tão bom
Tão bom
Tar cntg e amar-te é tão bom
É tão bom
Tão bom

Tu tens o meu amor, tu tens meu coração
Pra nós ficarmos juntos tudo depende de ti
Paixão
Ninguém te entendi tal como eu te entendo
Por isso afirmo e reafirmo ma baby
Que amar-te é tão bom
É que tu és o tic baby e eu sou o tac
Quando eu tou na defesa miuda tu tas no ataque
Tu és a número um minha salada de atum
Minha sócia minha patroa miuda tens essa coroa

Tu tens o meu amor, tu tens meu coração
Pra nós ficarmos juntos tudo depende de ti
Paixão
Ninguém te entendi tal como eu te entendo
Por isso afirmo e reafirmo ma baby
Que amar-te é tão bom
É tão bom
Tão bom
Tar cntgo e amar-te
É tão bom
Tao bom
Tao bom
É que tu és o tic baby e eu sou o tac
Quando eu tou na defesa baby tu tas no ataque
Tu és a numero 1 minha salada de atum
Minha sócia minha patroa mor tu tens essa coroa.






Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:02


As Mina Pira_--- Gusttavo Lima

por shangonator, em 03.04.13

As mina pira
Quando a gente
Chega na balada
Fazendo rodinha
Com baldinho de cachaça
Pira quando a gente
Chega na balada
Apavorando
Na área vip reservada

Suave na nave
A gente sai de casa
Um role no posto
Só pra ver a mulherada
Aqui ta muito fraco
Vamo pro point da praça

E pra ficar melhor
É só abrir o porta mala

E aí rola um esquenta
Sempre antes da balada
E as mina pira pira pira pira pira pira

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:48


Amar Não É Pecado -- Luan Santana

por shangonator, em 03.04.13
Eu não sei
De onde vem
Essa força que me leva pra você
Eu só sei que faz bem
Mas confesso que no fundo eu duvidei
Tive medo, e em segredo
Guardei o sentimento e me sufoquei
Mas agora, é a hora
Eu vou gritar pra todo mundo de uma vez

Eu tô apaixonado
Eu tô contando tudo
E não tô nem ligando pro que vão dizer
Amar não é pecado
E se eu tiver errado
Que se dane o mundo
Eu só quero você

Eu tô apaixonado
Eu tô contando tudo
E não tô nem ligando pro que vão dizer
Amar não é pecado
E se eu tiver errado
Que se dane o mundo
Eu só quero você

Eu não sei
De onde vem
Essa força que me leva pra você
Eu só sei, que faz bem
Mas confesso que no fundo eu duvidei
Tive medo, e em segredo
Guardei o sentimento e me sufoquei
Mas agora, é a hora
Eu vou gritar pra todo mundo de uma vez

Eu tô apaixonado
Eu tô contando tudo
E não tô nem ligando pro que vão dizer
Amar não é pecado
E se eu tiver errado
Que se dane o mundo
Eu só quero você

Eu tô apaixonado
Eu tô contando tudo
E não tô nem ligando pro que vão dizer
Amar não é pecado
E se eu tiver errado
Que se dane o mundo
Eu só quero você

Ohh...
Eu tô apaixonado
Eu tô contando tudo
E não tô nem ligando pro que vão dizer
Amar não é pecado
E se eu tiver errado
Que se dane o mundo
Eu só quero você

Eu tô apaixonado
Eu tô contando tudo
E não tô nem ligando pro que vão dizer
Amar não é pecado
E se eu tiver errado
Que se dane o mundo
Eu só quero você

Ohh...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:39


Zona -- 5 [sou sortudo]

por shangonator, em 31.03.13
To bem acompanhado a dama não cria stress
Não faz do telemóvel uma coleira wireless
Eu sou o maior problema da minha sogra
Me tarracha meu amor yo voy sacar la pistola

Deus te fez com régua transferidor e compasso
I dont see nobody to sempre no espaço
E andas tão doce que o açúcar pede atentos
Deviam te chamar chocolate em andamento

Antes eu andava por aí
E Depois tu chegaste aqui
E Depois a minha vida logo deu uma volta de 360 graus
Pois tu mudaste este negro
Agora eu já não sou o mesmo
Pois tu deste mais estilo, deste mais swagg, deste mais shyne
Tu me enfeitas bem, me fazes bem
Baby olha só oh, Baby olha só oh oh oh
Poliste-me e tiraste-me todo pó
Baby olha só oh, baby olha só

Da pra ver que eu sou sortudo
Eu sou mais homem quando estas aqui
Eu reconheço que eu sou um homem sortudo
Só tu pra cuidar de mim
Da pra ver que eu sou sortudo
Vê só como puseste brilho em mim
Eu reconheço que eu sou um homem sortudo
Só tu pra cuidar de mim assim

Eu sou um homem sortudo por te ter
Oui mon amour dans mon coeur tu a touché
Estou a trabalhar na campanha do amor
All night long
Fazer amor em orbita de baixo dos lençóis
Minha sexy love és o meu O2
Tens a chave do meu coração B não faças copia
Encontrei a mulher dos meus sonhos mesmo com insónia

E eu também sou sortudo
Porque da maneira que ela me pega na minha cama mais nenhuma girl só pega
E da maneira que ela fica quando me encostam numa dama aqui parece uma (golpeira)

Pior que uma fera só o andar dela parece é pantera
E quando eu cumprimento outra amiga dela
Se ela surgir apanha tontura
Xééé e o meu swagg se completa quando beijo a minha dama na boca
Feel this só o fenómeno que acontece quando o meu (kiombo) se tirar a roupa
Parece feitiço este teu bife molho a champignon
Please tu queres que eu bise quase a noite toda baby girl
Só tu pra cuidares de mim assim

Da pra ver que eu sou sortudo
Eu sou mais homem quando estas aqui
Eu reconheço que eu sou um homem sortudo
Só tu pra cuidar de mim
Da pra ver que eu sou sortudo
Vê só como puseste brilho em mim
Eu reconheço que eu sou um homem sortudo
Só tu pra cuidar de mim assim.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:22


Anselmo Ralph *Curtição*

por shangonator, em 31.03.13

ANSELMO RALPH - CURTIÇÃO
Deixa acordar-te agora
Pois tu estás a confundir
O que se passou entre nós
Já virou passado

Nós, sempre soubemos que tu tens o teu men
E eu tenho a minha lady
Estava claro que esse nosso caso
Era passageiro

E agora vens te armar em vítima
Dizendo que eu te magoei
Mas enxuga as tuas lágrimas
Pois eu nunca te menti

Que, eu tenho o meu amor
E não a vou deixar
Sempre soubeste que...ooo

O plano entre nós
Era só uma curtição
E era proibído amar
Ou falar de paixão

O plano entre nós
Era uma noite e nada mais
Agora não me venhas dizer-me que eu te usei
Eu não,

(4x)
Eu não te usei

Nenhum de nós dois é criança
Pois nós sabiamos bem
O que estavamos a fazer e olha
Ninguém obrigou ninguém

Mas se vens cá dizer-me que eu te usei
Então me usaste também
Fica calma
Eu acho melhor acabarmos bem

Pois eu descobri que eu
Eu tenho um grande amor e eu
Vou aprender a lhe dar valor

REFRÃO
É que depois do prazer so resta culpa
Eu tou cansado de pedir 'amor desculpa'
Eu quero ser um homem que saiba dar amor
Ela merece ter um amor fiel

Por isso vai no teu homem
Que eu vou para a minha mulher
Fica com o teu homem
Que eu vou ficar com a minha mulher
Ama o teu homem
Que eu vou amar, também a minha mulher
Trata bem o teu homem
Que eu vou tratar, também da minha mulher

Está errado (do do do)
Está errado
Magoar quem ama, magoar quem ama
Deus me ajude, que me perdoe
Por magoar quem ama
Magoar quem ama

(4x)
Ela não merece

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:51


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D